top of page

CEDEAO e UNIDIR vão organizar uma conferência regional para facilitar o desarmamento em África




Por meio de suas ações, a CEDEAO procura fortalecer seus acordos regionais de controle de armas e continua a implantação implacável de recursos técnicos e financeiros em apoio aos arranjos políticos de controle de armas na região.Enquanto comunidade económica regional (CER) no continente africano, a CEDEAO realizou várias iniciativas independentes mas complementares de controlo de armas ao longo dos anos.Da Declaração de Moratória sobre Importação, Exportação e Fabricação de Armas à atual Convenção Juridicamente Vinculada da CEDEAO sobre ALPC, suas Munições e Outros Materiais Correlatos.


O objetivo desta reunião é comunicar à região da CEDEAO as conversas globais em andamento sobre desarmamento, bem como questões de controle de armas.Especificamente, esta série de seminários anuais também gerará uma ampla gama de discussões cobrindo várias questões temáticas, com análises de especialistas em painéis de discussão, desenhados globalmente para abordar questões-chave.Isso aumentaria a compreensão dos Estados Membros sobre essas obrigações e proporcionaria oportunidades adicionais de colaboração e no lugar certo para cumprir seus compromissos..


Durante estes grandes eventos no campo da segurança regional, notamos a participação de vários painelistas: da Comissão da CEDEAO representada pelo Dr. Abdel-Fatau Musah, Comissário para Assuntos Políticos, Paz e Segurança (CPAPS), bem como representantes de Entidades das Nações “UNIDIR”, Comissão da União Africana, Estados Membros, organizações internacionais, OSCs e indústria.


Os resultados previstos incluirão avaliações aprofundadas desses regimes regionais, continentais e globais de controle de armas, desarmamento e não proliferação.Assim, com base nas prioridades anuais (a definir conjuntamente pela CEDEAO e UNIDIR), estarão na mesa de discussão questões de obrigações e compromissos.


Sobrea :

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) foi criada quando o Tratado da CEDEAO foi assinado por 15 Chefes de Estado e de Governo da África Ocidental em 28 de Maio de 1975 em Lagos, Nigéria. A região da CEDEAO abrange uma área de 5,2 milhões de quilómetros quadrados. Os Estados-Membros são: Benim, Burkina Faso, Cabo Verde, Ivory Coast, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Libéria, Mali, Níger, Nigéria, Sierra Leone, Senegal e Togo.


Considerada um dos pilaresda Comunidade EconómicaAfricana, a CEDEAOfoi criada para promover a cooperação e integração, o que levou à criaçãode uma União Económica na África Ocidentalpara promover o nível de vida dos seus povos, manter e reforçar a estabilidade económica, fomentar as relaçõesentre os Estados-Membros e contribuir para o progresso e desenvolvimento do continente africano.


Em 2007, o Secretariado da CEDEAO foi transformado numa Comissão. A Comissão é dirigia pelo Presidente que é assistidopor um Vice-Presidente e por Cinco Comissários, que são funcionários experientes e que estão a proporcionar a liderança nesta nova orientação. Como parte deste processo de renovação, a CEDEAO está a implementar programas importantes e estratégicos que irão consolidar a coesão e eliminar progressivamente as barreiras identificadas à plena integração. Desta forma, os estimados 300 milhões de cidadãos da Comunidade podem, em últimaanálise, apropriar-se da realização da nova visão de passar de uma CEDEAO de Estados para uma "CEDEAO dos Povos: Paz e Prosperidade para Todos" até 2050.


UNIDIR é um instituto autônomo financiado por contribuições voluntárias dentro das Nações Unidas.O UNIDIR, um dos poucos institutos políticos do mundo com foco no desarmamento, gera conhecimento e promove o diálogo e a ação sobre desarmamento e segurança.Com sede em Genebra, UNIDIR ajuda a comunidade internacional a desenvolver as ideias práticas e inovadoras necessárias para encontrar soluções para questões críticas de segurança.

5 visualizações

Bình luận


bottom of page